12 dicas pra superar a Crise dos 20 e tantos anos.

Eu já falei aqui sobre a Crise dos 20 e tantos anos pra que você saiba o quanto ela é comum e não algo totalmente surreal criado pelos Deuses pra te punir por ter sido uma criança peralta. Não, desculpe, mas até o capiroto tem mais com o que se preocupar do que atazanar sua vida. Logo, criei um exército de auto compadecidos com essa fase um tanto quanto turbulenta – bondade minha. Similar a “fase dos por quês” que as crianças enfrentam, nessa crise todo mundo dá uma de Zequinha: Por que estudei 5 anos algo que nem gosto? Por que tenho que exercer uma profissão que não me estima? Por que suporto atitudes das quais recrimino? Por que tenho que aceitar a ideia de um casamento pra vida toda? Por que não posso largar tudo e ir morar na praia? Por que o Brasil não ganhou a copa? Que tipo de país é esse que a presidente faz #étois?! Onde estão meus valores? ONDE ESTÁ O CONTROLE REMOTO? QUAL O SENTIDO DA VIDA?! Perdi a chave do carro! Alguém liga pra ela?!

Se você achava que seus maiores problemas eram um amor não correspondido, manter boas notas na faculdade sem perder sua vida social e tentar sobreviver à uma amnésia alcoólica, bom, aos 20 e tantos anos a única coisa que vai lhe preocupar dia e noite é a frase “Mas que diabos eu tô fazendo aqui?!” que basicamente se aplica à tudo. A questão é que o caminho pouco importa, se você não souber para onde quer ir. Portanto, fiz uma lista das coisas que eu aprendi que com um pouco de sorte ou muita vodka pode servir pra vocês também.

1)      Esqueça todos os clichês sobre amizade. Você, de fato, não quer essas pessoas ao longo da vida. Não quer esse ombro pra chorar desgraças, não quer essas lições de moral deslavadas e não quer ter uma “outra mãe”. O que vai te erguer são as pessoas que riem das suas desgraças, debocham de seus defeitos, tagarelam de ansiedade, desafiam sua sanidade. Você vai verdadeiramente aprender com elas, confrontar-se com elas. Não se limite ao que chamam de amizade; sentir-se livre, errante, frustrado e suportar a convivência consigo mesmo é a real liberdade existente no encontro de almas.

2)      Faça sempre mais do que sua obrigação. O problema das pessoas está no conforto da justificativa de fazer somente a sua parte. Pior ainda, quando se sentem melhores que as outras por isso. Entenda que o que não lhe custa nada, não lhe custa nada mesmo, mas pode significar muito pra alguém e, principalmente, para um relacionamento. Então, deixe sua obrigação de lado, esqueça qual sua parte nessa história. Faça tudo que puder fazer, faça sem medir esforços. Simplesmente, faça.

3)      Não torne sua rotina um fardo. Eduque-se a fazer o que deve sem sentir nenhum pesar por isso. Somos puramente adaptação, nada é tão ruim que não possa ser amenizado ou tão bom que não possa ficar desgostoso.

4)      Todo mundo tem problemas. Ou seja, auto piedade é deprimente, então, à medida que você se maldiz, as pessoas se afastam de você, afinal, é de exímio egoísmo achar que seus problemas são maiores e piores do que os de qualquer pessoa. Cada um sabe onde seu sapato aperta, mas lágrimas nunca ajudaram ninguém a chegar à lugar algum. Sorrisos, sim. Contagiam, trazem força, emanam garra. Podem não ser a solução, mas certamente não fazem parte dos problemas.

5)      Sonhos são tão reais quanto difíceis. Esqueça a utópica ideia de que a realização de um sonho vem de mão beijada, como se fosse divinamente projetado pra ser seu. Não é. Se você tem um sonho, por mais impossível que pareça, tem que lutar como se fosse plausível, palpável e estivesse prestes a acontecer. Vivencie seu sonho todos os dias, trace metas, planos e enfrente os desafios. Parece clichê, mas é apenas um passo a passo de como fazer qualquer fantasia virar realidade.

6)      Seja honesto consigo mesmo. Os elogios que você diz com tanto gosto à frente do espelho não significam nada. Saiba quem você é, e isso quer dizer que também deve conhecer seus defeitos, mesmo aqueles que não quer mudar. Admita-se errado, fracassado, mas não seja um hipócrita acomodado. Nade contra a maré de gente que esconde-se atrás de falsos valores morais. Prefira a condenação de olhares invejosos por ter sua sinceridade à peito aberto. Isso não é mandamento de rebeldia, é autoconhecimento. É se libertar das amarras de que deve ser o que querem que seja.

7)      Se perdoe. Às vezes, algumas escolhas infelizes te acompanharão para o resto da vida, isto é, se você deixar. Você não precisa ser alguém fadado ao martírio de um erro e não vai conseguir se reinventar a não ser que se perdoe, se deixe ir, se deixe ficar. Simplesmente, se deixe. Sinta culpa e aprenda com seus percalços, mas não permita que eles sejam seu fardo. Seja leve, seja livre. Desapegue-se de toda âncora e arrependimento, de todas pedras que juntou pelo caminho. De tudo.

8)      Não tenha vergonha de si mesmo. Autenticidade é uma prática diária que consiste em sorrir pra tudo aquilo que não te acrescenta. Se é feliz sendo assim ou assado, permaneça. Se te contestam, argumente sorrindo. Se te julgam, se afaste sorrindo. Se te condenam, simplesmente sorria. Pessoas sempre vão falar bem E mal, não há como se manter numa linha imaginária inalcançável. A melhor defesa contra todo falatório é ser sempre você, ainda que não seja o mesmo.

9)      Se desapegue da ideia de que fracassou sem ter chegado ao fim. Conforme o tempo passa, a gente tende a se cobrar o sucesso de objetivos tão bem traçados. Mas não é assim que a vida funciona, e não conseguir o que você planejou no tempo que determinou não te faz pior. Refaça seus planos, controle seu próprio tempo, seja mais flexível quanto aos prazos que puder manipular. Não deixe que isso tome proporções em que se veja infeliz anos luz à frente. Conquiste um dia de cada vez sem se comparar as pessoas ao seu redor. Quando você se coloca na berlinda sem avaliar suas verdadeiras vitórias, se desmotiva e menospreza os grandes feitos casuais colecionados.

10)   Pensar demais é veneno. Às vezes, tudo que você precisa é de qualquer ínfimo motivo pra se jogar, qualquer detalhe que te leve a se perder, se entregar. Então vai! Se permita viver sem pensar tanto como agir, se permita a confusão do impulso, o desespero do inesperado. Se permita ser emoção, ação, movimento e, não, razão, inércia, calculo. Se permita toda forma de sentir, sem delimitar as barreiras que o faça sã. Não torne um hábito a bravura da inconsequência, mas de vez em quando, se permita não pensar sobre isso.

11)   Limite sua ansiedade pra que ela não te limite. Se desapegue do certinho, do correto, do perfeito. Se desfaça de suas malas prontas, respostas pensadas e olhares incertos. A ansiedade te torna pessimista e, com isso, cego para as alternativas, cego para as oportunidades. Se você não puder controla-la, se não trabalhar para diminui-la, ela vai controla-lo.

12)   Quando o desespero bater, lembre-se que a vida não é uma corrida, não tem linha de chegada, nem potes de ouro ao final do arco-íris. O que importa de verdade é se manter em constante movimento, afastar qualquer ociosidade improdutiva, deturpar qualquer fatalidade inevitável e gargalhar de qualquer tropeço no caminho. Se isso ainda não for suficiente, saiba que vodka é feita de batata. Batata é um vegetal. Vegetais fazem bem pra saúde. Ou seja, vodka faz bem pra saúde e brinde à isso!

lL8GX

sahsilvany

About Samantha

Editora de conteúdo e redatora do Bendita Cuca!, e colunista para o Isabela Freitas e Superela. E Youtuber nas horas vagas. Sobrevivente da agonizante liberdade de pensar demais. Acredita que todo mundo merece um grande amor para chamar de próprio e escreve para se livrar da loucura completa.

2 thoughts on “12 dicas pra superar a Crise dos 20 e tantos anos.

  1. Renan

    Me identifiquei muito com o que disse no começo. Adorei o texto, e achei que você foi muito bem em expressar todos os sentimentos que a gente enfrenta nessa fase com as palavras.

  2. Letícia

    Nossa eu acordei derrubada hoje e precisava ler isso, MUITO obrigada!

O que achou? Vamos trocar uma ideia! Sua opinião é muito importante pra nós. <3