Como arruinar seu primeiro encontro.

Bom, em primeiro lugar, eu não espero que vocês usem isso como um tutorial do que fazer caso queiram dispensar alguém porque isso é horrível mas inevitavelmente, certas coisas podem arruinar seu date (e ao mesmo tempo servir pra se livrar de alguém, se for o seu caso. Tomara que não). A questão é que a Lei de Murphy para relacionamentos existe, sim, e tende a ser muito mais estraga prazeres do que o pão com a parte amanteigada pra baixo. Acho que falamos mais de algo, tipo, sua cara debaixo da terra. Ou a sensação mais próxima dessa que conseguir chegar.
Eu procurei reunir um tantinho de tantas histórias que já ouvi e de algumas que infelizmente protagonizei obviamente não direi quais, mas tenho cer-te-za que por alguma dessas situações vocês já passaram. É tão certo quanto a topada na quina da mesa. Que pelo menos isso sirva para evitar novos constrangimentos ou que, simplesmente, sirva pra rir dos antigos.

1) Espirre

Certo, você deve estar pensando “Por que essa menina colocou espirrar em primeiro lugar?! Que besteira!” Não te culpo, mas também não me julgue. Vocês não tem noção do monstro que eu me transformo quando começo a espirrar. Eu disse que não falaria de mim? Não consigo! Gente, é fora de sério! Eu viro, em menos de um minuto, Samara-A-Noiva-Do-Chuck-Exorcista. Tenho todos os “ites” cabíveis a um ser humano; sinusite, rinite etc e tal, então, eu posso dizer que espirrar é praticamente um encosto se apoderando do meu corpo. E não é daqueles legais como quando bebo vodca. Daí, vocês conseguem imaginar o que é uma pessoa com o nariz “endubido”, o rosto inchado, a pele vermelha, corizando em um encontro? Quais seriam as reações óbvias? Uma lady provavelmente assoaria em um lencinho de maneira delicada e quase imperceptível, mas eu não; eu ando com um rolo de papel higiênico na bolsa e quando começo chamo tanto a atenção dos outros quanto um juiz apitando na final da Copa. Eu sei que quando alguém espirra, você diz “saúde” por educação. Pelo menos, foi isso que teus pais quiseram que acreditasse, mas é claro que na verdade quer dizer “Eu vi, viu?”.  Quando não, sinto aquela moleza instantânea e meu cérebro passa a atuar como se eu estivesse sob o efeito de um antialérgico forte, mas na verdade, suspeito que seja apenas uma manifestação da Vida dizendo que me ama. E tem algumas abençoadas pessoas que espirram uma vez. Eu espirro mil. E uma. Eu só paro quando, finalmente, fico completamente sem respirar pelo nariz. O que me lembra da sensação desesperadora de suplicar aos céus que aquele cara, do qual você nem se lembra mais que está jantando enquanto luta pra se manter viva, não te beije para que não morra sufocada. É bem por aí, mas não exatamente isso; ainda pior.

2) Engasgue

Quem nunca fez uma oração baixinho para que os olhos cheios de lágrimas fossem de emoção e não da porra comida que não lhe desceu bem? Com o passar do tempo, você começa a desenvolver técnicas de como fazer essa “condição” passar mais depressa. Mas é sempre um tiro no escuro. Às vezes, a velocidade com que você bebe água atrapalha e o desespero só aumenta. Ô coisa boa seria intimidade nessa hora pra que você pudesse tossir a sua alma e não se importar. Mas, como falamos de primeiro encontro, o que acontece é uma pessoa em uma briga celestial com ela mesma pra impedi-la de cuspir tudo e uma outra pessoa se perguntando porque as caretas de constipada. Eu não sei vocês, mas eu cruzo os dedos para não engasgar quando saio.

3) Saia de calcinha bege

Sem antes ser ameaçada de sair pretensiosamente mal intencionada, o fato de você se importar com isso é realmente crucial. Vamos supor que acidentalmente ele veja. Bege é foda! Não consigo nem pensar em outro adjetivo além de “broxante”. E, sejamos francas, na fase inicial da paquera você quer despertar o interesse, a nocividade e ninfomania de cada pessoa, né não? Aí, lá está você: linda, sexy, toda “trabalhada” na produção e comete uma gafe dessas. De baixo calibre. Tudo bem que nem todos os homens se importam (aliás, mal se importam com quem as veste, em alguns casos mais sérios), mas o mito em relação a calcinha bege existe, as famosas “calcinhas da vovó”, então, porque se associar a algo tão, tão…virgem! Sinceramente, eu as amo, mas tem hora e tem lugar. Em compensação, eu já ouvi de um amigo meu que quando ela não está de calcinha bege é a prova de que saiu “doida pra dar”.

4) Compare com seu ex

Esse é um tópico que nem precisa ser citado. Completamente óbvio. Mas acho que não custa lembrar, mais uma vez, aquelas minhas amigas que costume de casa se leva à praça. Então, vocês que não falam de outra coisa além do seu ex namorado, cuidado para não soltar essas mesmas pérolas enquanto estiver, por um milagre, tentando algo com alguém na vida. Se liberta, menina! Ninguém gosta de ser comparado, principalmente com alguém que não deu certo. É bem chato, parece um julgamento que não darão certo também.

5) Troque os nomes

Gente, o que pode ser pior do que trocar o nome?! O cara vai pensar “Essa menina tem tanto macho que se confunde!”. Ou seja, maior trepilda. Certo, outra história: isso já aconteceu comigo trezentas vezes, mas nunca porque eu tenho tantos que confundo, mas porque eu sou a Dori, de Procurando Nemo. Ah, melhor! Sou o Ted-3-segundos de Como Se Fosse. A Primeira Vez (amo esse filme, por sinal). Aliás, em minha defesa, eu sou péssima com nomes porque nasci assim. Pior do que isso foi quando até o corretor automático (morte à ele) me “trollou”. Eu juro como queria escrever “certo”, mas saiu Claudio e o nome da criatura era outro, quando eu recebi uma mensagem “Claudio?!?!”, eu pensei antes de ver “Ai meu deus, mais um bêbado!” Não tinha entendido até ler a conversa, onde meti um Claudio sem vê nem pra quê. Ele pensou que eu tivesse errado os nomes. Do nada. No whatsapp. PORQUE.SOU.RETARDADA. Culpei o corretor, mas ele nunca acreditou em mim, casou, teve 5 filhos, foi morar na praia e eu continuo sozinha. Na verdade, não sei se exatamente isso aconteceu, mas suponho que sim, já que ele nunca mais falou comigo.

6) Dê

Um amigo meu um dia me disse que toda mulher sai com intenção de dar, você só tem que provar a ela que é pra você. Isso nunca saiu da minha cabeça; em parte, porque realmente faz muito sentido e, em parte, porque prova que só querem terminar a noite com alguém. Fim. Maduros.
Tem mulheres que seguem algumas regras criadas por Seu Ninguém em que tem dias X para esperar etc e tal. Bom, cada um com os seus cada qual, mas o importante é não facilitar. Só isso mesmo.

7) Durma linda e acorde o drácula

O que tem de menina que faz uma mini-plástica antes de sair de casa é assustador. E bem invejável! Queria eu saber me arrumar assim. Mas o que eu quero dizer é que tem gente que precisa. Mesmo. O bom é quando elas sabem disso e isso “casa” com a preocupação que tem de ficar sempre bem maquiadas e arrumadas, mas as que não sabem já conseguiram por muito marmanjo pra correr com suas destruídas versões pós-dormida. Meu conselho é: acorde mais cedo e se arrume, diaba! É melhor do que perder o paquera. Ele não precisa saber agora que você é a Fiona. Quem ama o feio, bonito lhe parece; pois bem, apaixone-o e revele-se.

8) Fale sobre casamento

Naturalmente, esse é um assunto que surge entre casais e não, entre o jantar e a sobremesa. Contenha-se. Eu, mais do que ninguém, sei o quanto é difícil não pressioná-lo a uma posição ou induzi-lo a uma pergunta em que aborde o tema, mas é totalmente necessário. Falar disso é um espanta-paquera. Eles podem até cogitar o casamento em algum longínquo dia de verão, mas naquele dia, ouvir qualquer coisa a respeito vai deixá-lo em pânico. E com razão! A louca casamenteira com vinte e poucos anos é a tia solteirona aos quarenta.

9) Seja mais bêbada do que ele

Quer queira, quer não, nossa sociedade é machista demais para aceitar uma mulher que “bote mais boneco”, como se diz aqui no Ceará, do que um homem. Mulheres que chamam atenção demais, bebem demais, dançam demais (e até o chão) são sempre julgadas. Então, à primeira vista, vamos nos comportar, hein, lindas? Mostrar que é uma menina direita mesmo que a pomba-gira esteja em pratos pra se libertar em você. Ninguém precisa saber disso. Ainda. A verdade é que a maioria dos homens tem medo de mulher independente.

10) Coma igual a uma porca

Acho completamente horrível uma pessoa que come com a fome de três pedreiros. É bom você se controlar quando for à um rodízio (tentar a meditação, talvez) para não comer mais que o digníssimo. A primeira coisa que ele vai pensar “Essa garota é prejuízo!” e a segunda é que você será uma futura obesa. Fato. Pra que passar por essa humilhação? Pra que mendigar as bordas de pizza? Melhorem, meu povo!

11) Não malhe?

Essa aconteceu comigo: eu tava andando na Unifor (faculdade), um garoto bonito sorri pra mim.  Eu penso “putz, nota mental de me arrumar mais”. E retribuo o sorriso, meio sem jeito.
– Oi, tudo bem?

– Oi! Tudo…

– Você faz que curso? Vi seu livro de física…
– Engenharia de produção.
– Você malha? – olhinhos brilhando igual ao Gato de Botas.
– Não… – Fico me perguntando se perguntou isso porque me achou sarada ou necessitada.
Então, ele me deu as costas e saiu andando pro outro lado. Fim.

Claro que sempre há exceções a regra; aquele fiasco de jantar que foi ótimo, constrangimentos que deram boas risadas. E, na verdade, é muito melhor estar com alguém assim, em que não é preciso ser de “plástico”. Não devia ser preciso jogar pra estar com quem se gosta, nem mentir ou fingir, mas está tão normal que se tornou banal. Pessoas de valores distorcidos, trocam a sinceridade por um pouco de status. Bom, então, por que valeria estar com alguém em que não pode estar consigo mesmo também?
Por menos jogos, menos superficial e mais fiascos e abraços.

 

sahsilvany

About Samantha

Editora de conteúdo e redatora do Bendita Cuca!, e colunista para o Isabela Freitas e Superela. E Youtuber nas horas vagas. Sobrevivente da agonizante liberdade de pensar demais. Acredita que todo mundo merece um grande amor para chamar de próprio e escreve para se livrar da loucura completa.

O que achou? Vamos trocar uma ideia! Sua opinião é muito importante pra nós. <3