Bendita Cueca: Direitos iguais ou safadeza?

Esse Artigo é EXTREMAMENTE proibido para MENORES DE 18 ANOS, pessoas com mentes pequenas, feministas desgovernadas, machistas conservadores e pessoas que usam Crocs, simplesmente porque não gosto e esse blog ainda é meu. Rala, sua mandada!

Essa semana no Bendita Cueca eu resolvi usar uma situação hipotética, mas que ironicamente e infelizmente e pesarosamente e precipitadamente e mais um monte de gente que mente, todos nós já passamos alguma vez na vida em qualquer um dos lados. A questão é que da mesma forma que cada um sabe onde seu sapato aperta, a coisa mais fácil do mundo é se esquecer do pé dos outros. Exceto quando este vai direto na sua bunda, né? O ciclo é sempre o mesmo, afinal, relacionamento é pior do que as reprises dos Chaves do SBT: você já viu acontecer mil vezes, sabe exatamente qual é o final, mas guarda só as boas lembranças e não muda. Pior ainda é que continua rindo como se fosse a primeira vez. Antes de se dar conta está hipnotizada na TV, mais ou menos como funciona aquele amor literalmente cego, acomodado, conformado. Bom, mas nem era isso que eu queria falar. Metáforas com Chaves podem me levar à universos tridimensionais com direito a suco de groselha e cantorias sobre roupas bonitas. Perdão.

Vou começar de novo: essa semana, no Bendita Cueca, resolvi abordar uma situação hipotética que com certeza todo mundo já passou em algum surto de ambição em ter, simplesmente, mais de um no mesmo ambiente. Porque, no fundo, acredito eu que o verdadeiro desafio é agir como um ninja pra que um não perceba o outro. Estudar pra quê? Trabalhar pra quê? Se no final do dia o que te faz bater no peito com orgulho é dizer “Cheguei com uma, fui embora com outra. Ninguém se viu. Sou foda.” Certo que ninguém sabe os motivos que levam os outros a não suportarem o fato de esperar por cinco minutinhos que seu par naquela noite vá ao banheiro, mas se aproveitar dessa circunstância pra dar o famoso “balão” é outra história. Quando não, até mesmo a despretensiosa ida se torna um encontro bem lá no escurinho pra ninguém desconfiar, como já dizia Zé Ricardo e Thiago. (Sinceramente, não conheço a dupla e nem sei se de fato eles que compuseram a letra desconfio do meu sobrinho de 11 anos, mas foram os primeiros resultados que apareceram no Google, então, uma coisa é certa: eles são os que pagam melhor pela publicidade. Vou dar aquela moralzinha.)

Sem mais delongas, meus rapazes (Sim, adquiri direito de posse por livre causa de expressão) receberam um texto que dizia:

“Você fica com uma menina em uma festa, se afasta para dar o velho balão e quando vai procura-la, ela está ficando com outro. Você sabe que também já aprontou uma dessas pelo menos uma vez na vida e bem sabe como é tentar se desvencilhar quando tem mais de uma paquera no mesmo lugar. A questão é: ela teve a mesma atitude que você e aí, isso quer dizer que ela não presta? Direitos iguais ou safadeza dela?”

E as respostas são de cair o queixo, tirar as crianças da sala e fazer três simpatias e uma mandiga:

BAAAAAAAAAANDIDA, SAFADA, QUENGA REIA! É isso que ela é! Não, não importa se os homens vez ou outra acabam fazendo isso, não importa se um cara já fez isso uma vez com uma garota, NÃO IMPORTA! Essa é uma característica pertencente aos homens, não tentem levantar a bandeira dos direitos iguais por que querida, só quem se ferra é você, é sua imagem que está em jogo e não venha me dizer que não se importa com ela, se não importasse você não teria um milhão de apps de foto no seu celular! Não tem nada mais repulsivo do que mulher aprontando uma dessas. Mulher é mulher e o que faz dela uma mulher de verdade é saber que vez ou outra um homem apronta uma dessas e a melhor reação para se ter é manter sua postura, e afastar-se desse rapaz, talvez ele não esteja pronto para você agora (Ou nunca estará). Sinceramente, essa história de direitos iguais é uma balela sem fim!!! O homem é colecionador e a mulher é conservadora e assim sempre será, salvo casos em que ele está apaixonado e nenhuma mulher existirá pra ele além da sua amada! Quando uma mulher tenta igualar essa questão, fica RIDICULO pra ela. Jamais aconselharia isso para uma amiga minha!!! O melhor conselho é: AFASTE-SE, não revide, MUITO MENOS dê um balão no cara para dar assistência a um paquera que está dando a mesma assistência a você e a outras 259 na mesma festa. Você será taxada como uma safada, sem vergonha, fogo no rabo, insaciável e o pior de tudo, um rapaz sensato sabendo dessas suas atitudes não irá querer ter algo sério com você, simplesmente NÃO DÁ! Então, por mais que vocês queiram revidar nessa batalha eterna dos sexos, a melhor conduta a seguir é: Seja MULHER, apesar do sexo masculino não colaborar com sua própria imagem não se precipitem, o cara que está saindo com você pode estar sonhando com o dia de ter você só pra ele, e se você apronta uma dessas vai se QUEIMAR LEGAL com ele e com toda a roda de melhores e piores amigos dele . Preserve-se, não revide e se o cara não prestar, AFASTE-SE!

20140318-162352.jpg

Quem nunca fez isso que atire a primeira pedra!! Homens e mulheres pelo menos UMA VEZ NA VIDA já fizeram essa safadeza! Bem, não dá pra generalizar, mas uns 99% das duas raças cometeram tal sacanagem. Já fiz, admito. Não me recordo de alguma ter feito e eu visto, MAS COM TODA CERTEZA, já tomei do próprio veneno. E se caso presenciasse tal cena e estivesse muito afim da dita cuja só teria uma reação, pediria ao garçom que trouxesse um litro de vodka sem refrigerante e muito menos energético. Vai que rola chorar por essa mulher sem coração, melhor não lembrar de nada no dia seguinte! Hahahaha. A verdade é que não importa se foi o homem ou a mulher quem fez isso. É sacanagem do mesmo jeito. O que diferencia de tal atitude ser tão grave ou não, seria como anda sua relação com a pessoa que você supostamente deu o “balão”. Caso fosse um fica de festa, conheceu ali e já se pegaram logo sem ao menos saber o nome (tipo um Fortal da vida), não importa tanto. Mas caso seja bem diferente, vocês já há um bom tempo ficam, tem uma certa intimidade, apesar de não ser tão sério ainda, acho sim um tremendo deslize. Mas quem nunca fez isso hein?! hahahaha. Contudo, todavia, entretanto… Não acho que seja ao ponto de chama-la de vagabunda, puta, rapariga, piranha, vadia, filha de mil e 300 putas entre outros adjetivos. Afinal todos passam por esse problema de administração de paqueras né verdade? Hahaha. E o mundo ta moderno demais, muitos seguem a risca a frase “é compartilhando que se multiplica”. Então, tem pessoas que nem ligam pra isso. Com o tempo todos aprendem a fazer as escolhas certas. É errando que se aprende (às vezes). Deslizes acontecem, todos passam por essa fase, problema é se essa fase teima em não passar.

20140318-162346.jpg

Nossa, é engraçado que isso já aconteceu comigo há um tempão atrás e a sensação foi muito ruim. Desde então prometi que não mais faria isso. A Samantha tá querendo ver o circo pegar fogo aqui cada vez mais, mas estamos aqui pra isso, né? kkkkk Então… Como eu disse, prometi que não mais faria isso pois é uma coisa meio estranha. Você fica meio que se escondendo, preocupado, não é legal. Se você tá ficando com uma menina, curte e tal, não tem porque sair e ir ficar com outra. O problema é quando isso é meio que sem querer. Hoje em dia as pessoas solteiras costumam ter algumas várias relações. Um dia você tá com uma pessoa, outro dia tá com outra e, inevitavelmente, alguma vez essas pessoas vão estar no mesmo lugar. O que fazer? Sai correndo que vai dar merda! hahaha Brincadeira. O negócio é tentar contornar. Se você se importa com aquelas pessoas, vai acabar ficando com nenhuma. Na verdade vou ser meio contraditório, mas mesmo que você se importe, pode ser que acabe ficando com uma delas e isso não significa que você é safado(a). Como eu disse, pessoas solteiras tem várias relações e acho que deve ser meio claro na cabeça das outras pessoas que isso pode acontecer. Julgar esse fato é meio que idiotice. A coisa só muda quando você tem algo mais sério com alguém, aí não, aí já é sacanagem fazer isso. Pessoas livres, tem direito de fazer o que bem entendem, desde que não sejam fdps com a outras pessoas e isso as faça ficar mal. Isso vale pros 2 lados, não tem essa de que o cara fica com 10 é pegador e a menina é galinha. Supõe-se que as pessoas tem total consciência dos seus atos e que elas medem as consequências deles. Afinal, ninguém vai ficar brincando de esconde-esconde a vida toda.

20140318-162358.jpg

sahsilvany

About Samantha

Editora de conteúdo e redatora do Bendita Cuca!, e colunista para o Isabela Freitas e Superela. E Youtuber nas horas vagas. Sobrevivente da agonizante liberdade de pensar demais. Acredita que todo mundo merece um grande amor para chamar de próprio e escreve para se livrar da loucura completa.

O que achou? Vamos trocar uma ideia! Sua opinião é muito importante pra nós. <3