Tinha que ser você.

Você foi o motivo de eu ir embora e também o de eu voltar. Parece piada. Como posso ter saído com tanta convicção de que havia feito a escolha certa, de que não valia a pena tentar de novo, que ainda era cedo o bastante pra que a distância não doesse tanto assim e voltado com absoluta certeza de que essa havia sido a melhor decisão? Pois é. Você. Sempre você.

Foi você desde o primeiro contato, foi você no primeiro beijo, foi você na primeira vez que eu senti a famosa pontada no peito que avisa quando o amor passa, ou melhor, quando o amor fica. Foi você na briga que me fez esquecer completamente meu orgulho pra não dar o azar de te perder. Foi você que me fez amá-lo, me pedindo pra voltar até quando eu levantava da cama pra beber água. Foi você que me fez acreditar que era isso que eu queria, que me fez mudar meus planos pra te caber neles. Foi você quem eu mais amei e foi você quem mais me feriu.

Foi por você que eu achei ter pago todos meus pecados e por você que eu me senti sortuda só por tê-lo conhecido. Foi por você que eu mudei – por mais que eu não goste de admitir – porque me fez enxergar como eu tinha apego a certos defeitos. Foi por você que eu tentei me tornar uma pessoa melhor, não só para você, mas para mim mesma e aprendi a aceitar mesmo o que eu não conseguia compreender em mim. Foi com você que eu aprendi sobre a complacência do amor, a abnegação dos próprios caprichos, o altruísmo de fazer por alguém mais do que já pensei em fazer por mim mesma. Foi com você que eu vivenciei o perdão, descobri o quanto dói se lembrar e como é grande o esforço pra se esquecer.

Você. Que não se compara a ninguém que eu já conheci, que eu enxergo de corpo e alma, que eu derreto dos pés à cabeça quando vejo sorrir. Você, que deixa minhas pernas bambas com sua presença. Você, que me deixa de coração mole com sua ausência. Você que já me fez perder a cabeça tantas vezes, e hoje, te encontro do lado esquerdo do meu peito, em um espaço só seu. É, você. Que talvez não tenha sido o grande amor da minha vida, mas definitivamente, foi o primeiro. Foi tudo que eu sempre quis e, ao mesmo tempo, tudo que eu evitava encontrar.

Se eu tivesse a chance de voltar ao passado, ainda assim, eu escolheria você de novo. Porque tinha que ser você. Tinha, no passado. Felizmente, meu futuro sou eu que decido. Você que é inesquecível, mas não insubstituível. Você aí. Eu aqui. Melhor assim.

About Samantha

Editora de conteúdo e redatora do Bendita Cuca!, e colunista para o Isabela Freitas e Superela. E Youtuber nas horas vagas. Sobrevivente da agonizante liberdade de pensar demais. Acredita que todo mundo merece um grande amor para chamar de próprio e escreve para se livrar da loucura completa.

One thought on “Tinha que ser você.

  1. Izabella Souza

    Achei maravilhoso!!!!!!!
    O melhor texto, foi exatamente como eu me sinto em relação ao um ex! Cara, vc arrasa muito! 👏🏼👏🏼👏🏼👏🏼👏🏼

O que achou? Vamos trocar uma ideia! Sua opinião é muito importante pra nós. <3