A vida não é uma corrida.

Recentemente, tive o deleite de receber meu primeiro vale-alimentação. Meu bônus salarial. Um dinheiro que, na minha cabeça, veio do nada e de graça (no fundo, eu sei que foi mero fruto do meu próprio esforço durante 30 dias corridos, mas uma garota pode sonhar, não pode?). Sendo assim, decidi que eu compraria o que…

Continue lendo...

Um amor não cura o outro.

A ansiedade sempre foi meu calcanhar de Aquiles. O que quer que não fosse como eu gostaria era engolido por uma avalanche de palavras que resumiam um afogamento sádico de “foi melhor assim”. Quem, além de mim, poderia me convencer disso, afinal de contas? Eu procurava conforto nas estatísticas em que os outros se expunham…

Continue lendo...

O tempo do amor é não tê-lo.

Estou vazia. Disso eu tenho certeza, e duvidaria de quem me dissesse que seria assim. Mas já não sinto mais nada, nem mesmo a vontade de me questionar. Catei todos os porquês espalhados pelo chão que trilhavam o caminho que escolhi. Afinal, foi uma escolha. Se apaixonar é uma escolha; sempre é. Tenho mania de pôr a amor em…

Continue lendo...

Complique sua vida: ame.

Nunca me esqueci de quando analisei a fundo uma música do Biquini Cavadão chamada “Quanto tempo demora um mês”; vale ressaltar que foi no auge dos meus 14 anos em que meus dias se resumiam a fingir que sabia cantar as músicas em inglês, decorar a sequência de clips que passavam na MTV e descobrir…

Continue lendo...