Inteligência é afrodisíaco.

Confesso que julgava um livro pela capa, um filme pelo trailer e, principalmente, um garoto por suas roupas. Aliás, não só roupas, mas cabelo, postura e gírias. Tinha uma incontrolável mania de ver defeitos, quaisquer que fossem pra me manter distante. Era uma autodefesa. Ou medo. Ou os dois. A questão era não dar margem…

Continue lendo...