Por você.

Por você, eu não dançaria tango no teto, mas dançaria nossas alegrias e faria um tango das nossas desavenças. Com a mais absoluta certeza, não perderia tempo limpando os trilhos do metrô. Mas limparia com afinco nossas dúvidas e os resquícios do passado, que muitas vezes, nos impedem de prosseguir.
Tomaria banhos gelados, quentes, mornos, frios. Em troca de um vinho e uma boa transa. Sim, tem que ser boa. Mais ou menos não vale. Em troca de verbo, de ombro, de calor, de tempo.
Definitivamente, não iria a pé do Rio a Salvador. Porém, andaria ao teu lado, caso você confiasse a mim, tua companhia. E mais que isso, teu companheirismo.
Poderia até viajar a prazo para o inferno. Para o nosso, para aquele que existe porque é necessário.
Por você, meu caro desconhecido e futuro amor, eu não deixaria de beber. Te chamaria para tomar um bom vinho, pra sentar à mesa de um bar, saborear uma cerveja, engolir algumas doses de vodca. Te chamaria para a sala da minha casa, para o quarto e para a química etílica que nossos corpos vão embriagar-se diversas vezes.
Por mim, e para satisfazer os meus caprichos, ficaria rica ao longo dos anos. Mas posso fazer-me rica de sentimentos ao longo dos dias.
Por você e por nós, eu não dormiria de meia. E não gostaria de vê-lo assim também. Por favor.
Eu mudaria meu nome, para os tantos nomes que passarão nas entrelinhas dos teus desejos sacanas. E por fim, tu me chamaria de amor. Teu amor.
Posso te desejar todos os dias. Há outras pessoas, outras bocas, outras mãos. Há outros corpos e olhos. Que serão admirados como um objetos arquitetônicos do desejo íntimo e secreto. Nada além disso.
Por você, eu fico alegre. E fico triste. E fico com saudades. Fico com insônia, com ciúmes. Fico desajustada. Eu fico. Fico contigo.
Pintaríamos o céu de vermelho, de azul, da refração de um lsd, de seja lá o que for.
Com você eu teria mais lembranças como herdeiras das incessantes ménages que faríamos: Eu, você e o mundo.
Poderia brincar de te aceitar exatamente como tu é. Mas sabes que vou implicar com teu jeito despreocupado, com tuas amigas, com tuas distâncias.
Por você eu me apaixonaria todos os dias, não só por ti. Por todas as coisas bobas que nos arrancam sorrisos intermináveis e sem explicações. Em você eu depositaria meus beijos instigados de tesão.Por você eu confortaria meus abraços em troca do teu colo. Por você eu viveria essa coisa chamada amor, da forma mais leve, mais madura e menos pontual possível.
Por você, é desnecessário. É idiota. é bobo. Como todas as coisas inesquecíveis da vida.
sahsilvany

About Samantha

Editora de conteúdo e redatora do Bendita Cuca!, e colunista para o Isabela Freitas e Superela. E Youtuber nas horas vagas. Sobrevivente da agonizante liberdade de pensar demais. Acredita que todo mundo merece um grande amor para chamar de próprio e escreve para se livrar da loucura completa.

O que achou? Vamos trocar uma ideia! Sua opinião é muito importante pra nós. <3