O amor continua.

Ainda lembro do fim de tarde no teu quarto. O Sol batendo no vidro e refletindo a gente ali, deitados na cama, apenas sentindo a respiração um do outro. Aqueles momentos em silêncio eram mágicos contigo. Os nossos verões foram de longe sem dúvida alguma os melhores da minha vida inteira. Quando toca a única música que ainda me faz lembrar de você, me vem as cenas da gente na tua casa, e sem dúvida alguma o coração ainda guarda todos os flashs.

Quando penso que talvez seja minha missão carregar tudo isso no meu peito por toda minha vida, me sinto em outra dimensão. Não sei explicar. Uma nostalgia invade meu peito e só consigo ver as coisas com filtro de foto envelhecida. A gente passou, tudo acabou, mas minha alma insiste em carregar essas lembranças e imaginações que só sobreviveram na minha mente.

Hoje em dia não há mais culpados, nem vítimas. Há apenas uma saudade absurda. E uma previsão de um futuro cheio dessa mesma história que vou lembrar por todos os dias da minha vida. Contar para alguns novos conhecidos, mencionar sempre em algum texto, e cantarolar sempre nessa mesma música que me transporta pra um universo paralelo onde aqueles dois adolescentes entrando na vida adulta vivem.

Eu desfilando pela casa com aquelas tuas camisetas largas e meia, você tocando violão e a gente sentindo como a vida era boa de se viver. Era leve. Teve amor. Muito amor. E hoje o que restou foi a gratidão por ter podido conviver com alguém tão cheio de luz e amor como cê era. A música acabou faz uns três minutos e ainda continuo ouvindo ela na minha cabeça. A gente já acabou faz muito tempo, e ainda te sinto aqui, dentro do meu peito.

Acho que algumas pessoas nasceram para carregar sentimentos genuínos e puros dentro do peito, para transbordá-los quando alguém por perto precisar. Por isso hoje em dia aceito minha missão, e busco ser luz. Você vive sua vida com outro alguém e eu vivo a minha vida sendo amor pra todo mundo que venha por bem.

A gente cresce muito, e a maior prova de amor que a gente pode dar pra alguém é desejar o bem pra ela, mesmo que ela nem lembre mais quem a gente é. Meu coração está em paz. Confesso que há dias em que ele chora, volta a estaca zero e não se conforma. E eu deixo ele escorrer toda tristeza pelos meus olhos pra aliviar a falta que cê faz e sempre vai fazer. Minutos depois ele se recompõe, e a gente segue a vida. Eu e meu coração. Eu e todo amor que ficou por aqui.

About Vitória Garré

Libriana no extremo da palavra. É completamente viciada em doce e chimarrão. Encontrou na escrita uma forma de se libertar, e acredita tanto nos seus sonhos, que escreveu na pele que eles nunca morrem, só pra ela sempre lembrar.

O que achou? Vamos trocar uma ideia! Sua opinião é muito importante pra nós. <3