É amor até quando decide ter fim.

Se eu sinto saudades suas? É claro que eu sinto. Todos os dias me desafio a lembrar dos motivos pra não te procurar. Quando pergunto qual o nome do livro que está lendo, tenho consciência de perder. E dói, de verdade. Eu sei que racionalmente não faz sentido; não é pra doer, não é pra existir. Não somos um nem metades. Eu estou inteira, por incrível que pareça. Sei que já não sou mais a mesma, e não procuro pensar no quanto de mim ficou contigo, mas não me sinto incompleta, e sim cansada.

Tenho um espaço só teu em meu peito, não consigo comparar a nada que eu já tive com ninguém. Um dia alguém vai caber ali ou eu vou esquecer; o que acontecer primeiro. Se afastar ainda gostando te faz perder um pouco a esperança, confesso. A gente acha que quando for amor vai ser tudo diferente, vai desmentir as milhares de histórias que criamos na cabeça. Vai ser simples. Vai só fazer bem. E então descobre que, às vezes, é amor em plena tempestade. É amor entre gritos, promessas e choro. É amor ate quando decide ter fim. Só não é recíproco. É bem egoísta querer tanto alguém assim. Portanto, dói. Mas eu acho que o caminho é esse porque à medida que isso me machuca também me faz perceber o quanto não é justo. Não é justo que eu ainda me sinta desse jeito. Que eu ainda te queira apesar de tantos pesares.

O problema, e só agora eu percebo, é que eu preciso de alguém que goste de mim como eu gosto de você. Preciso de alguém que me olhe com a certeza de que faria qualquer coisa por mim, que pense “que sorte a minha! Dentre todas as pessoas, ela me escolheu!”. Eu preciso dessa pessoa, entende? Que veio dar sentido pra toda essa bagunça que trago aqui dentro.

Que não queira competir pra se envolver e, pelo amor de Deus, se deixe levar, não se reprima tanto. Qual o mal de se mostrar o que sente? Quando foi que nos tornamos assim; tão preocupados de impedir o coração de se afetar? Isso é capricho ou trauma? Não, chega disso! Já não aguento mais me fazer de dura e morrer por dentro. Eu mereço alguém que goste de mim como eu gosto de você. E por isso escolho a mim ao invés de ti. Então, respiro fundo. Sei que não tenho culpa. Pior seria se eu me contentasse em ser tão pouco pra alguém.

About Samantha

Editora de conteúdo e redatora do Bendita Cuca!, e colunista para o Isabela Freitas e Superela. E Youtuber nas horas vagas. Sobrevivente da agonizante liberdade de pensar demais. Acredita que todo mundo merece um grande amor para chamar de próprio e escreve para se livrar da loucura completa.

O que achou? Vamos trocar uma ideia! Sua opinião é muito importante pra nós. <3