Por você.

Por você, eu não dançaria tango no teto, mas dançaria nossas alegrias e faria um tango das nossas desavenças. Com a mais absoluta certeza, não perderia tempo limpando os trilhos do metrô. Mas limparia com afinco nossas dúvidas e os resquícios do passado, que muitas vezes, nos impedem de prosseguir. Tomaria banhos gelados, quentes, mornos,…

Continue lendo...

Um chá quente para dois corações gelados.

Tarde cinza de outono, chuva suave, melodia equalizada, janelas nubladas e uma mesa vazia com uma toalha florida cobrindo-a. Almofadas jogadas no chão assistem um televisor mudo, ligado a um dvd empoeirado na estante. Janelas embaçadas sem sinais de dedos ou desenhos. Livros intactos na estante e marcadores caídos no chão. Chaleira pequena sobre um…

Continue lendo...

Como eu gosto de liberdade.

Como eu gosto de liberdade. Gosto tanto que, às vezes, deixo-a de lado para ancorar meu coração. Sei que os portos são seguros. Mas os navios foram feitos para navegar. Não falo da liberdade limitada, que muita gente usufrui. Falo daquela que nos eleva o espírito, que nos traz paz. Estar bem consigo é a…

Continue lendo...

Colocações sujeitas à mudanças.

Uns confiam cegamente, acreditam que pássaro livre sempre volta à gaiola, outros acham que ciúmes é o tempero primordial em um namoro e criam um tipo casulo reforçado. Uns preferem o sexo puritano-ortodoxo, em outros casos o convite à uma casa de swing é indispensável. Uns acham que amizade é saber a data de aniversário…

Continue lendo...

Sol-teira.

Estou SOL-teira. E não há erro algum de separação silábica. O sol que havia quando ainda estava acompanhada e podia desfrutar de todas as coisas namorídicas existentes entre casais apaixonados, perdurou. Dias de tempestades, manhãs nubladas e tardes cinzentas, a gente passa de qualquer forma. Acontece que vivemos no mundo do Contos de Fadas LTDA…

Continue lendo...