A bendita blogueira

Criei o BC há pouco menos de um ano com a intenção de ter um lugar que eu pudesse expor as coisas que eu fazia e, quem sabe, inspirar e ensinar outras pessoas a fazerem também. Em outras palavras, eu criei o BC pra me exibir, afinal, eu estava orgulhosa pra caralho das coisas que tinha criado. Acontece que à medida que as pessoas foram tomando conhecimento e pedindo dicas, eu fui criando mais confiança e me sentindo realmente bem em ajudar e podia muito bem ter parado por aí se não fosse a vodka,

É, pois é. A vodka. Foi em uma manhã de semi-embriaguês às vésperas de uma ressaca torrencial de proporções interplanetárias que eu resolvi, não sei por quê cargas d’águas ou sequer aonde estava com a cabeça, escrever tudo aquilo que eu estava pensando. Ou seja, um emaranhado de palavras sem nexo, súplicas desesperadas da minha memória de se recompor. E a descoberta de que eu escrevo muito melhor bêbada! O texto se chamava “Brilho eterno de uma mente sem lembranças.” E foi a melhor coisa que eu já fiz, não porque tenha sido meu melhor texto (nem acho que foi), mas porque me deu a chance de conhecer de verdade quem estava me lendo.

Foi assim que descobri meu público; aquele que ria comigo, das minhas desgraças e compartilhava as suas também. Meu público não está interessado na modinha, meu público tem opinião, tem gosto, tem tato. É uma geração de valor e que me orgulho muito de fazer parte. Hoje, eu escrevo pra quem gosta de ler, quem gosta MESMO porque não é fácil acompanhar meu ritmo e minha escassez de fotos. Mas também pra quem gosta de viver, de errar, de se descontrolar, de puxar os cabelos de vez em quando. Pra quem aceita o risco, aceita o carma, aceita o medo. Pessoas que não estão interessadas em seguir uma minoria, mas simplesmente fazer a diferença. Minha meta é criar uma legião de pensadores!

Descobri minha paixão. Ou talvez minha sina. De qualquer forma, o que eu descobri não tem preço; são os milhares de e-mails, comentários e sugestões que recebo todos os dias que me fazem sentir viva. Ou louca. Ou os dois. E, quer saber de uma coisa? É fantástico!

Vem pro meu mundo, vem!

About Samantha

Editora de conteúdo e redatora do Bendita Cuca!, e colunista para o Isabela Freitas e Superela. E Youtuber nas horas vagas. Sobrevivente da agonizante liberdade de pensar demais. Acredita que todo mundo merece um grande amor para chamar de próprio e escreve para se livrar da loucura completa.

One thought on “A bendita blogueira

  1. Caio Faheina

    Samantha, parabéns pelo BC! Não sou do tipo que manda e-mail e deixa recados, quando se gosta de uma page. Precisei ir contra esse costume. Vim elogiar- elogiar mesmo- , porque adorei os textos (de forma leve, rápida, descontraída e – o melhor – com conteúdo). Alguém compartilhou o texto sobre o Fortal e, sim, me chamou atenção! Cá estou eu, rindo da desgraça alheia (se esse é a proposta, também, do site). Parabéns!

O que achou? Vamos trocar uma ideia! Sua opinião é muito importante pra nós. <3