8 formas de se auto sabotar.

Felizmente, amor e política não são coisas tão distintas quanto parecem, logo, assim como a nossa candidata à presidência Marina Silva, nós podemos, sim, voltar atrás. Principalmente, tratando-se das regras impostas pela tola razão no início de um relacionamento. Ou das propostas em um início de campanha. A questão é se não quer pagar pela língua, não prometa e se comprometa com o que não pode cumprir. Em compensação, qualquer alerta a respeito disso é completamente em vão. Fato. Mesmo com sua coleção de foras, tapas na cara, asas cortadas e memórias emolduradas à fino trato na parede do quarto – pra te lembrarem de não cometer os mesmos erros – você simplesmente ignora qualquer razão e age por instinto. É a vida. O problema disso é quando você se torna tão obsessiva-compulsiva-neurótica em ter um relacionamento conforme manda o figurino de perfeição que se auto sabota. Quando tudo vai pro brejo, não sabe sequer ao que deve culpar primeiro.

Como sou uma alma caridosa que vai pro céu – se o mesmo tiver cheiro de fritura de coxinha de frango – eu vou listar as coisas que se você faz VAI MORRER. Não, mentira. Mas uma coisa é certa: vai matar seu relacionamento. E todo amor e doçura que construíram juntos. Entretanto, não sou sua mãe, então se tudo der errado mesmo assim, parafraseando o também candidato à presidência Eduardo Jorge, eu não tenho nada a ver com isso.

1-      Stalking

Eu particularmente achava que stalkiar era uma artimanha exclusivamente feminina, no entanto, eu não podia estar mais errada. TODO.MUNDO.STALKEIA. Tanto é, que daqui a pouco “Stalkear” entra pro Aurélio com o apoio do Telecurso 2000 e a fundação Roberto Marinho. Acontece que uma leve conferida na veracidade dos fatos exposto em um jantar a dois, agora é de praxe. Principalmente, porque como eu sempre digo “quando a esmola é muito, o santo desconfia”, e vamos combinar, em tempos de escassez de intelecto + beleza + condição financeira (se é que algum dia houve fartura dessa safra de indivíduo), se lhe aparece alguém que compete todos os requisitos pra fazer jus ao afogamento do Santo Antônio no último dia dos namorados, então, ALGUMA COISA MUITO ERRADA TEM POR TRÁS. Nesse caso, é mais que justo dar um Google no nome da criatura e buscar até a cópia da sua certidão de nascimento.

 

Espera, volto atrás e digo “ou não”.

 

Quer um conselho de amiga? Sossega, nega. Poxa, encontrou aquele cara bacana, gente boa, que te faz duvidar da sua própria sanidade? Aproveita. Não fica buscando no passado dele algo que o tire do pedestal porque, naturalmente, você vai encontrar. Tudo bem, que uma olhadela rápida garante a segurança de não estar se envolvendo com um serial killer, mas tornar isso parte da sua rotina ou, pior, da rotina do casal é claramente amarrar uma corda ao próprio pescoço.

 

2-      Compartilhar senhas e perfis

Eu diria que é uma das maiores burrices cometidas no antro do amor de um casal imaturo. A base de um relacionamento, pra quem ainda tem dúvidas, é a confiança. Se não tem confiança, não importa se tenha todas as senhas, acesso aos celular todo tempo, compartilhamento de perfis e sei lá mais o quê, simplesmente não há base. Não há nada que solidifique a relação. Porque, uma coisa é certa, não é o facebook que incita alguém a trair. Se o digníssimo quiser trair, ele vai. Seja da maneira mais descarada já vista ou com uma saída de mestre. A questão é que ele vai, e nada nem ninguém vai impedi-lo. Então, tire o cavalinho da chuva e não cobre essa falsa segurança de fidelidade. Na verdade, o melhor a se fazer é trabalhar seu ciúmes, se esse for o caso. Ou se desapegar de qualquer vínculo das redes sociais, principalmente, aqueles que você cria quando ver a interação entre pessoas do sexo oposto. E que eu duvido que de fato exista.

 

3-      Cobrar atenção 24h

Eu amo ficar de papinho o dia todo. Amo contar as coisas que aconteceram, por mais ridículas que sejam e me interesso por absolutamente tudo da vida dos outros. Mas quando me deparo com alguém que fala só o essencial – que é invisível aos olhos – eu me transformo magicamente nessa pessoa desapegada. A melhor coisa que tem no universo é você ter um paquera que não usa whatsapp. Você simplesmente passa a viver uma fase de êxtase e liberdade. Nada de olhar a última hora que ele entrou ou se preocupar se ele está demorando pra te responder ou se intrigar porque ele está online e ainda não falou contigo. Nada disso. Você apenas vive e quando se falam é de forma objetiva, já marcando de se ver, quando obviamente vão ter muito mais novidades pra compartilhar. Isso é adaptação, aliás, tudo é adaptação. Portanto, se você é muito carente de atenção, enche o saco do cara, começa a se desapegar aos poucos desse sentimento. Começa a se policiar de falar o tempo inteiro. Ou faz terapia.

4-      Proibi-lo de manter amizades

Não vou nem me prolongar sobre esse tópico porque é óbvio que a maneira mais eficaz de ter um relacionamento duradouro e estável, sem a interferência da opinião alheia, é sendo a pessoa mais gentil e legal do mundo com todos os amigos dele. E, não, querendo guarda-lo num potinho ao lado da cama sem contato com o mundo exterior.

 

5-      Expondo-se nas redes sociais

Não se prenda à conversas que ele teve com Mariazinha quando sequer imaginava te conhecer porque você vai se magoar. Não se importe tanto com as famosas que eventualmente ele curte no Instagram porque isso, sinceramente, não quer dizer que eles tem um caso. Sabe, essa vida que a gente nutre na internet é muito artificial. Nada é palpável, nada é sentido. É tudo visto, manipulado. Uma forma escrota de esbanjar sentimentos irreais. Não nutra a irracionalidade de um ciúmes imaginário. NÃO.VALE.A.PENA. Não são as redes sociais que atrapalham e acabam os relacionamentos, são as pessoas que distorceram seus valores. Hoje é mais importante o que é exposto do que é sentido. Perseguir alguém – ou trancafiá-lo no porão – não vai garantir que ele seja exclusivamente seu; o nome disso é compromisso.

 

6-      Ficar quieto quando algo lhe incomoda ou machuca

Matracar sobre tudo que lhe incomoda também não é uma alternativa, ok? O que eu quero dizer é que acumular é quase sempre pior do que conversa. Aliás, minto. SEMPRE É PIOR. E conversar não é discutir pra que fique claro. Embora, homens geralmente não tenham tanta consciência dessa distinção tão óbvia. Enfim, quando as mulheres estão chateadas tendem a remoer bem mais que os homens aquilo que lhes dá cabelos branco e um dia, sem mais nem menos, vão explodir uma série de acusações inaudíveis pela voz embargada com o dedo apontado na cara deles. Alguém já viu esse filme?

 

7-      Se entregar à monotonia

Vai chegar um momento que naturalmente já vão ter feito de tudo – ou quase tudo – de emocionante que uma vida a dois propõe. Nesses casos, a maioria dos casais se acomoda, se conforma, deixa pra lá. Depende muito do tipo de relacionamento que vocês tem, mas geralmente isso leva a um tédio mortal muito baixo astral, que pode levar ao fim da relação. Não estou dizendo, homens, que carros de loucura de amor na porta do trabalho sejam bem-vindos. E nem estou dizendo, mulheres, que uma lingerie super sexy vai fazer toda a diferença. Mas, a iniciativa é válida. Alguma coisa DEVE ser feita. “Tentar sempre, desistir jamais.” (Lispector, Google)

 

8-      Superestimar qualquer reação negativa

Às vezes, ele está só cansado. Nem tudo precisa ser algo. Esse é um conceito bem difícil de ser compreendido por quem não está sentindo-o no momento, mesmo que venha a senti-lo posteriormente. Como é algo passageiro, não vale a pena superestimar. Às vezes, a criatura teve um dia ruim no trabalho ou discutiu com um flanelinha ou recebeu a fatura do cartão. Enfim, nem tudo é o que parece, tampouco é de propósito. Por isso que um dar espaço ao outro é fundamental.

Eu não falei nada que você já não soubesse. Fato. Mas eu não falo pra ser aquela que vai libertar sua mente das dúvidas e seu coração da angustia, falo pra que se escute pensando, se flagre lembrando. E, até mesmo, envergonhe-se de ter sido por uma, duas, – dez ou mais – vezes essa pessoa meio (bondade minha) desequilibrada em termos amorosos. A questão é que a teoria, todo mundo sabe, mas pôr em prática nem todo mundo tenta. Acontece que você não pode esperar resultados diferentes e ter finalmente um relacionamento de vento em polpa se for sempre a mesma. Pelo menos, tente.

sahsilvany

About Samantha

Editora de conteúdo e redatora do Bendita Cuca!, e colunista para o Isabela Freitas e Superela. E Youtuber nas horas vagas. Sobrevivente da agonizante liberdade de pensar demais. Acredita que todo mundo merece um grande amor para chamar de próprio e escreve para se livrar da loucura completa.

O que achou? Vamos trocar uma ideia! Sua opinião é muito importante pra nós. <3